A história do jeans

Em meados do século XIX, a corrida do ouro na Califórnia atraiu mais de 300 mil pessoas para a região. Era gente vinda dos Estados Unidos, Canadá e Europa. Em meio à multidão, havia um jovem de 24 anos angustiado.

Um rapaz, recém chegado da Alemanha, havia investido todas as suas economias em tecidos para barracas. O problema era que chegara tarde demais. Os primeiros vendedores já tinham suprido a necessidade dos mineiros. Para complicar, o tecido era extremamente resistente e, portanto, ninguém precisava recomprá-lo em um curto prazo de tempo.

ilustração de um mineiro americano na era do ouro

Sentado em um banco e sem saber o que fazer, ele reparou na vestimenta de um mineiro. Macacão em frangalhos, com o tecido puído, bolsos estourados cheios de remendos. Olhou em volta e viu que esta era a realidade de praticamente todos os garimpeiros. Imagine como aquilo devia preocupá-los: além de precisarem levar seus equipamentos pessoais os mineiros costumavam guardar as pepitas de ouro nos próprios bolsos.

De repente, o jovem teve um estalo. Pegou um rolo da sua lona e procurou um alfaiate e pediu para fazer um macacão para vender aos garimpeiros.

E foi assim que Levi Strauss em 1873 criou as calças e macacões feitos com jeans. Rapidamente as calças se tornaram populares entre os mineiros, depois conquistaram as cidades americanas até, finalmente, todo o mundo.

O que podemos aprender com Levi Strauss:

Muitas vezes uma pequena alteração no propósito de um produto ou serviço pode determinar a entrada em um novo nicho multiplicando as oportunidades de sucesso.